Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de 2016

As sombras e as luzes de Natal

Quer se goste, quer não se goste (ou não se dê importância), não haverá muitos temas tão capazes de tocar de formas tão opostas os meus pacientes, os meus amigos, os meus conhecidos e as pessoas que fui conhecendo até hoje como o Natal. Luzes e sombras que irei agora visitar consigo a meu lado.
As sombras. O Natal é uma época que nos pode fazer sofrer. Sentimos falta de quem já faleceu, com dor e saudade. E olhamos para aquele lugar vago na ceia de Natal onde, em tempos, estava aquela pessoa que nos iluminava com o seu sorriso, com o seu calor, com a sua história. E que agora já não está. Pelo menos, da forma a que nos habituou.
É também no Natal que muitas pessoas se sentem sós. Porque a vida as afastou de quem gostavam, porque nunca tiveram alguém assim tão próximo, porque não cuidaram delas o suficiente e as deixaram ir, por estarem num sítio desconhecido ligado a um novo rumo na sua vida. Por muita coisa diferente. Mas a sensação de vazio é a mesma, profunda e fria como a neve que …

Para sempre juntos

Quando estamos numa relação e tudo corre bem, sentimos uma imensa plenitude. Aquela pessoa que amamos é especial para nós, temos a sensação que nada nos poderá separar e que o nosso amor é eterno. Naquele exato momento em que olhamos para ela e sentimos que tudo faz sentido. Dentro e fora de nós. Que temos a combinação perfeita entre compromisso, paixão e intimidade. Que temos a maior sorte do mundo em amarmos desta forma.
Porém, o caminho de uma relação é feito, também, de obstáculos. Transições de vida, impasses, perdas, diferenças. E o amor que une duas pessoas, naquilo que tem de forte e frágil, reflete tudo isso. E muito mais. Porque sente muito. Haverá dias em que nada bate certo e que o caminho do fim parece o único. E, de certo modo, o mais fácil. Fazemos tudo para que não doa mais. Já chega de sofrermos.
Mas não ficamos o tempo suficiente, estamos sempre de saída. Nas nossas relações e em tudo o que nos é importante. É esse o rumo dos tempos modernos - se não fizermos nada para…

Adoção: “Quero muito estar contigo.”

A adoção é um processo de construção de uma relação para passar uma criança para filho/a, passando a exercer-se um papel parental de proteção, cuidado e afeto para com ela. Aqui cabem todas as famílias, ou seja, as constituídas de modo biológico e as famílias por adoção. O que é necessário é que as várias partes se adotem mutuamente e assim edificar uma família num projeto contínuo e definitivo. “Pais e filhos” parece-me ser a única nomenclatura a ser usada em ambas as formas de construção familiar. O termo adoção vem do latim adoptare, isto é, aceitar, escolher, desejar uma criança gerada por outros. Quando nos lembramos das histórias da nossa infância, conhecemos uma que nos fala apaixonadamente de uma relação entre pai e filho - O Pinóquio – em que o Geppeto (construtor de bonecos de madeira) foi sonhando que o seu desejo poderia transformar um boneco de madeira num filho de verdade (como se, assim, nos falasse de um bebé nascido dos seus sonhos antes que fosse concretizável na sua v…

Sobre a envolvência dos ciclos

A ideia de ciclo é transversal a vários assuntos da nossa vida. É bastante comum ouvirmos falar de ciclos que se repetem, padrões que podem ser identificados, oscilações mais ou menos constantes no nosso percurso. A estas ideias generalistas geralmente emprestamos acontecimentos das nossas vidas e identificamos os nossos próprios ciclos, com repetições mais ou menos rápidas ou rígidas, mas que o auto conhecimento permite ir assinalando.
Contudo, para além destes ciclos que se repetem, a nossa própria vida – e a vida psicológica em particular, vai seguindo um ciclo de várias etapas, vai-se transformando de acordo com a fase da vida e com os acontecimentos marcantes, colocando-nos desafios específicos de cada uma dessas etapas que acabam por ser comuns a todos nós.
Esta ideia de etapas que se encerram num ciclo é bastante interessante e coloca-nos imediatamente face à dificuldade em conseguir concretizar uma felicidade estável e duradoura que todos nós (ou quase todos), em alguma altura …

Sinistralidade Rodoviária em Portugal

Todos os dias nos chegam notícias, através dos órgãos de comunicação social, acerca da sinistralidade rodoviária em Portugal. Seja pela gravidade dos acidentes ou pela crueza dos dados estatísticos, somos alertados para uma realidade dura e com grande impacto na sociedade.
  Assinalou-se no passado dia 20 de novembro o Dia Mundial em Memória das Vítimas da Estrada. É um flagelo que, segundo dados da Organização Mundial de Saúde, custa a vida a 1,2 milhões de pessoas e causa 50 milhões de feridos.
  De acordo com a Autoridade Nacional para a Segurança Rodoviária (ANSR), no período compreendido entre 1 de janeiro e 31 de outubro de 2016 (segundo relatório conjunto a GNR e PSP), registaram-se 105.356 acidentes (101.196) dos quais resultaram 374 mortos (391), 1.716 feridos graves (1.881) e 31.794 feridos ligeiros (32.289). Os resultados podem ser ainda mais graves tendo em conta que apenas se contabilizam os óbitos registados no local ou durante o transporte para a unidade de saúde. Este…

Pelo seu bem-estar, medite!

A prática diária de meditação, permite-nos relaxar, observarmo-nos e conectarmo-nos connosco próprios duma forma mais presente, no aqui e agora, com inúmeros benefícios quer na nossa saúde física, quer na nossa saúde mental. Esta prática não é exclusiva dos monges budistas e está ao alcance de todos nós. Basta querer e procurar informação, pois é muito simples e gratuito.
Antes de mais, liberte-se da ideia de que não irá conseguir ou de que é muito difícil e predisponha-se apenas a experimentar, sem pressa e ao seu ritmo.
Existem vários grupos com cursos iniciais de meditação ou Mindfulness. Quando realizada em casa, é aconselhável escolher um local tranquilo e reduzir a possibilidade de ser interrompido. Poderá usar velas, incenso ou música própria para tornar o local mais acolhedor para si. Também poderá praticar no campo, na praia ou em jardins públicos, desde que se sinta à vontade para tal.
Vista roupa confortável e sente-se num colchão de ginástica ou em almofadas, com os joelhos n…

Ser-se Psicoterapeuta

É ser-se, acima de tudo, humano.

É crescer-se promovendo o crescimento. É sentir-se o que o paciente sente, ali com ele, segundo a segundo. É parar-se o mundo exterior para se sentir o mundo interior. É estar-se no seu sofrimento e na sua alegria, sem condição, sem crítica. É dirigir e ser-se dirigido. É ser-se genuíno e sincero, sempre. É ter-se dúvidas. É procurar-se certezas promovendo flexibilidade. 

É ser-se livre libertando. 

É festejar-se cada pequeno enorme passo que o nosso paciente dá. É estar-se atualizado cientificamente. É sair-se da zona de conforto. É investigar-se com rigor. É tolerar-se dias menos bons, os nossos. É cuidar-se de si mesmo e procurando ajuda sem receio. É ter-se a generosidade de um avô e a genica de uma criança. É contribuir para que ciclos difíceis de dezenas de anos dêem lugar a novos, desconhecidos mas esperançosos caminhos. 

É viver cada dia se fosse a primeira vez.

É construir-se uma ligação emocional especial que abraça objetivos e tarefas terapêutica…

O Dia Mundial da Saúde Mental

O Dia Mundial da Saúde Mental foi instituído em 1992, pela Federação Mundial de Saúde Mental (WFMH) e desde então é celebrado no dia 10 de Outubro. Sendo efetivamente uma das áreas da saúde mais problemáticas, quer pela complexidade inerente, quer pela contínua falta de investimento de que tem sido vítima, a saúde mental encerra 12% do peso mundial de doenças.
O impacto da falta de saúde mental pode ser medido em várias dimensões, merecendo, cada uma delas, a nossa séria reflexão. Antes de qualquer outra, deve inquietar-nos a dimensão individual, a da pessoa em sofrimento, que se vê impedida de dar continuidade à sua vida e que terá de enfrentar o reenquadramento da sua história. Existe também a dimensão familiar, a da família que sofre com o elemento doente, a da família que desespera face a uma rede de cuidados irresponsiva e confusa, a da família que vê os seus encargos aumentados com o tratamento do seu familiar. Mais distante, mas mais perdurante, existe a dimensão social. A da s…

Problemas de memória na terceira idade: demência ou depressão?

A depressão afeta uma em dez pessoas com mais de 65 anos. Sendo a perturbação mais comum ao nível da saúde mental em idosos, é frequentemente desvalorizada por pacientes, técnicos de saúde e familiares ao ser considerada parte integrante do envelhecimento.
A desvalorização acontece, pois, na depressão na terceira idade, além da apatia e fraca motivação típicas do envelhecimento, existem poucas queixas de tristeza substituída por hipocondria e preocupações somáticas. Porém, o índice de depressão tem vindo a aumentar reduzindo a qualidade de vida, aumentando incapacidades físicas, sendo uma das principais causas de dependência funcional para atividades da vida diária e um dos maiores prenúncios de suicídio na terceira idade.
Muitas das vezes, a depressão na terceira idade vem acompanhada de perdas cognitiva, maioritariamente ao nível da memória, sendo nestes casos denominada de pseudodemência depressiva o que dificulta a diferenciação entre depressão e demência. Muitos dos sintomas depre…

Ajudar a construir a adolescência entre família e escola

A adolescência é um período muito criativo e de grandes transformações. É nesta fase que se constrói um novo tipo de relação com o(a) adulto(a). É o momento de pensar sem, muitas vezes, levar em conta o real. Os(as) adolescentes julgam ter a resposta para muitos problemas da humanidade, mas é-lhes difícil solucionar questões simples da sua vivência. Eles(elas) pensam que será mais fácil mudar o Mundo do que viver com aquele conflito com o(a) amigo(a) que julgam ser impossível de lidar.

É justamente com esta capacidade de pensar acerca do real e do imaginário (que é possível para os (as) adolescentes), ou seja, aquilo que é pensado e o que é exequível que se cria um espaço muito importante para o desenvolvimento da criatividade.


A construção da adolescência necessita de um ambiente propício para suportar as tensões iniciais inerentes a este momento, seja na família ou na escola. A escola tem o papel de educar, que etimologicamente significa,do latim educare, educere, ou seja, “conduzir p…

Setembro mês de (re)inícios, mês de renovação

Para muitas pessoas, representa o regresso ao trabalho com energia renovada e a memória dos bons tempos de férias tão presente. Definimos objetivos, sonhos e planificamos o dia-a-dia. Terminamos o que ficou para fazer e deixamos o que não tem espaço. Abrimos mão e deixamos ir. Para outros, esta é uma altura de férias mas sem multidões por perto. O merecido descanso finalmente a chegar.

As crianças voltam à escola com o entusiasmo dos novos livros, das novas canetas e lápis (sem esquecer a borracha e o caderno), dos novos professores, dos novos colegas e amigos e até do novo lugar na sala. É agora tempo de voltar a levantar cedo e como custa essa parte, todos passámos por isso!

Relações começam e relações solidificam. É altura de prosseguir e o bom tempo (ainda) dá uma ajuda. De volta à azáfama (da qual muitos temos saudades, incrível!), queremos equilibrar tudo para termos tempo para tudo. E todos. Com compromissos, reencontros e dedicação.

Há, também, muitos de nós que iniciamos novas a…

Ansiedade Social e Fobia Social

"Na escola, sempre tive medo de ser chamado a responder, mesmo quando sabia as respostas. Quando arranjei trabalho, odiava reunir-me com o chefe. Não conseguia almoçar com os meus colegas de trabalho. Estava preocupado se ficam a olhar para mim ou me julgavam, e preocupado se iria fazer figura de parvo. O meu coração disparava e começava a suar quando pensava nestes encontros. Estes sentimentos tornavam-se mais fortes à medida que o evento estava mais próximo. Às vezes, não conseguia dormir ou comer vários dias antes de uma reunião de equipa."


USA National Institutes of Health A ansiedade é um sistema complexo de respostas automáticas, podendo ser cognitivas, emocionais, fisiológicas e/ou comportamentais, sendo idiossincrático a cada pessoa tendo em conta que é estruturado ao longo de toda a vida como resultado das experiências relacionais e ligadas a acontecimentos significativos. Em cada pessoa, este sistema é activado no momento em que é percepcionado um acontecimento que é…